terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Hubble flagra borboleta espacial


Hubble, de volta, flagra borboleta espacial





Hubble, de volta, flagra borboleta espacialNASA, ESA, and the Hubble SM4 ERO Team

Nebulosa NGC 6302,
conhecida como Borboleta,
é capturada pela
nova câmera
do telescópio Hubble


A NASA anunciou hoje que o telescópio Hubble, com 19 anos de idade, está de volta à ativa. Com sua nova câmera, a Wide Field Camera 3 (WFC3), o Hubble é capaz de encontrar galáxias, aglomerados de estrelas e outros objetos em espectros eletromagnéticos que variam do ultravioleta até quase infra

Astronautas da NASA instalaram os novos instrumentos em maio de 2009, deixando o telescópio pronto para uma nova fase de buscas espaciais. Além de uma nova câmera, eles também repararam equipamentos antigos - tudo para o Hubble poder explorar outras regiões e, quem sabe, concretizar um dos planos mais ambiciosos dos astrônomos: fazer um retrato mais aprofundado do universo em infravermelho, que poderia mostrar galáxias de até 500 milhões de anos jamais vistas.

Enquanto isso não acontece, o telescópio registra outras cenas espetaculares, como a da nebulosa NGC 6302, conhecida como Borboleta.



Apesar da bela aparência, a imagem retrata a morte de uma estrela que, um dia, já teve mais de cinco vezes a massa do Sol. As “asas” são, na verdade, gases aquecidos a quase 2 mil graus Celsius.

A NGC 6302 está na Via Láctea a cerca de 3.800 anos-luz de distância, na constelação de Escorpião, e é tão grande se estende por mais de dois anos-luz. Sua estrela central não pode ser vista, pois está escondida pela poeira, que aparece como uma faixa escura que “prende” a nebulosa no meio.

A imagem foi feita dia 27 de julho com luz visível e ultravioleta. Filtros que isolam as emissões vindas do oxigênio, hélio, hidrogênio, nitrogênio e enxofre foram utilizados na composição da imagem.

Se você gostou da Nebulosa Borboleta, acesse a página do Hubble para conferir outras imagens impressionantes.