quarta-feira, 28 de julho de 2010

ESO divulga novas imagens de estrela brilhante

ESO divulga novas imagens de estrela brilhante; confira

A WR22 aparece no centro da imagem composta por filtros vermelho, verde e azul do instrumento de observação  Foto: ESO/Divulgação

A WR22 aparece no centro da imagem composta por filtros vermelho, verde e azul do instrumento de observação

Foto: ESO/Divulgação

Na imagem, as cores compostas pela Nebulosa de Carina, revelando requintados detalhes das estrelas e poeira na região  Foto: ESO/Divulgação

Na imagem, as cores compostas pela Nebulosa de Carina, revelando requintados detalhes das estrelas e poeira na região

Foto: ESO/Divulgação

Este gráfico mostra a localização da Nebulosa Carina e algumas estrelas visíveis a olho nu sob boas condições. A nebulosa em si é marcada como um quadrado verde em um círculo vermelho à esquerda. Esta nebulosa é muito brilhante e pode ser vista também em telescópios pequenos  Foto: ESO/Divulgação

Este gráfico mostra a localização da Nebulosa Carina e algumas estrelas visíveis a olho nu sob boas condições. A nebulosa em si é marcada como um quadrado verde em um círculo vermelho à esquerda. Esta nebulosa é muito brilhante e pode ser vista também em telescópios pequenos

Foto: ESO/Divulgação

Na imagem acima, uma visão panorâmica do campo da Nebulosa Carina   Foto: ESO/Divulgação

Na imagem acima, uma visão panorâmica do campo da Nebulosa Carina

Fonte:Foto: ESO/Divulgação

28 de julho 2010

Descoberta a estrela de maior massa

Astrônomos dizem ter descoberto a estrela de maior massa



Imagem compara a estrela (dir.) com astros do tamanho do Sol (em amarelo) e outros  Foto: ESO/Divulgação

Imagem compara a estrela (dir.) com astros do tamanho do Sol (em amarelo) e outros

Foto: ESO/Divulgação


A estrela, batizada de RMC 136a1, faz parte do agrupamento de estrelas jovens RMC 136a  Foto: ESO/Divulgação

A estrela, batizada de RMC 136a1, faz parte do agrupamento de estrelas jovens RMC 136a

Foto: ESO/Divulgação

A estrela foi encontrada no agrupamento de estrelas RMC 136a (também conhecido como R136) que fica na nebulosa de Tarântula, dentro da Grande Nuvem de Magalhães - uma de nossas galáxias vizinhas  Foto: ESO/Divulgação

A estrela foi encontrada no agrupamento de estrelas RMC 136a (também conhecido como R136) que fica na nebulosa de Tarântula, dentro da Grande Nuvem de Magalhães - uma de nossas galáxias vizinhas

Foto: ESO/Divulgação

A RMC 136a1 pode ser vista no centro da imagem. Segundo o Observatório Europeu do Sul (ESO, na sigla em inglês), astrônomos britânicos descobriram a estrela que tem massa 265 vezes maior do que a do o sol e luminosidade cerca de 10 milhões de vezes mais intensa que a nossa estrela  Foto: ESO/Divulgação

A RMC 136a1 pode ser vista no centro da imagem. Segundo o Observatório Europeu do Sul (ESO, na sigla em inglês), astrônomos britânicos descobriram a estrela que tem massa 265 vezes maior do que a do o sol e luminosidade cerca de 10 milhões de vezes mais intensa que a nossa estrela

Foto: ESO/Divulgação


Astrônomos encontram a estrela de maior massa conhecida, no dia 21 de julho de 2010, às 8h22, a estrela descoberta não é a maior conhecida, e sim a de maior massa. A informação incorreta, fornecida pela BBC Brasil, foi corrigida às 20h06 do mesmo dia.

Um comentário:

leone disse...

ola td bem?
sua comunidade é o máximo
mi add ai?
leonewicz@hotmail.com