quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Descobertas as menores galáxias do Universo

Descobertas as menores galáxias do Universo


Imagem do Hubble mostra a localização de algumas das galáxias observadas Foto: Nasa/Divulgação
Imagem do Hubble mostra a localização de algumas das galáxias observadas
06 de setembro de 2007
Foto: Nasa/Divulgação

Os telescópios espaciais Hubble e Spitzer descobriram nove das menores, tênues e compactas galáxias observadas até agora no universo distante, informou hoje o Laboratório de Propulsão a Jato (JPL) da Nasa.


Cada uma dessas galáxias, que contam com milhões de estrelas, são entre 100 e mil vezes menores que a Via Láctea, acrescentou o JPL em um relatório.

"Trata-se das galáxias de menor massa detectadas no universo", disse Nor Pirzkal, do Instituto de Ciências Astronômicas. As teorias sobre a evolução das galáxias assinalam que os conjuntos menores de estrelas se uniram para se transformar em galáxias de enorme massa.

"É provável que estas galáxias, como tijolos de um jogo de Lego e que foram inicialmente detectadas pelo Hubble, tenham contribuído à formação do Universo como o conhecemos agora", disse o JPL.

Pirzkal assinalou que o telescópio Spitzer foi usado para confirmar a pequena massa das galáxias e suas observações constataram que são os "menores tijolos do Universo", acrescentou.

As estrelas que as compõem têm uma idade de apenas poucos milhões de anos e estão no processo de transformar elementos do Big Bang (a explosão que criou o Universo) em elementos mais pesados como hidrogênio e hélio.

Segundo Sageeta Malhotra, cientista da Universidade do Arizona e participante no estudo, a luz azul do Hubble comprova a presença de estrelas jovens nesses conjuntos galácticos.

No entanto, "a ausência de luz vermelha nas imagens proporcionadas pelo Spitzer demonstra de maneira conclusiva que se trata de galáxias jovens sem que tenha havido outra geração estelar antes delas", acrescentou.