domingo, 1 de novembro de 2009

Explosão estrelar

Explosão estrelar: A mais intrigante já vista

Originalmente se pensava que a erupção da nebulosa V838 Monoceros (Unicórnio) era o resultado de uma explosão comum de uma estrela em supernova, ou seja, a expansão do material expelido através do poderoso evento, mas hoje os astrofísicos pensam que é um evento totalmente diferente com as teorias variando desde a fusão de suas estrelas, ou até planetas.

Acima você pode ver uma animação da evolução do envento nos últimos anos que utiliza uma série de fotos feitas pelo Telescópio Espacial Hubble e computação gráfica.

Para você ter uma idéia da imensa violência da explosão assista o vídeo abaixo com uma estrela companheira ao lado para comparar.


O flash de luz emitido pela camada externa em rápida expansão transformou este objeto celestial no mais brilhante da nossa galáxia quando esteve no seu ápice. A dinâmica de seu brilho é totalmente única e essencialmente inexplicável: múltiplos picos de luz com uma velocidade de expansão fenomenal, seguido de estranhos adormecimentos.

Uma das possibilidades mais interessantes é de que a V838 Monoceros tenha engolido os planetas gigantes que a orbitavam: Se um dos planetas entrou na atmosfera da estrela, a atmosfera estrelar teria começado a engolir o planeta, liberando mais energia cinética na estrela. A estrela se aqueceria o suficiente para iniciar uma fusão de deutério que levaria à rápida expansão. Os outros picos de brilho podem ter ocorrido quando outros dois planetas entraram na superfície expandida da estrela e também sofreram o mesmo processo de fusão. [Wikipedia,DRB, arXiv]