terça-feira, 3 de novembro de 2009

Buraco Negro

http://physicsact.files.wordpress.com/2007/10/626678-5556-ga.jpg
http://blig.ig.com.br/qslnews/files/2009/08/cdocuments_and_settingscsassomeus_documentosminhas_imagensgalaxia_ngc_1097_buraco_negro.jpg

Na imagem divulgada pela agência americana, o buraco negro aparece como uma espécie de olho, rodeado por um anel esbranquiçado composto por milhares de estrelas em formação. A área azulada e escurecida ao redor do centro do olho é composta de gás e poeira, proveniente das estrelas sugadas pela força gravitacional.

A cor avermelhada dos braços em espiral é provocada pela poeira cósmica, aquecida pelas altas temperaturas das estrelas recém-nascidas, observadas pelos sensores do telescópio dentro do espectro infravermelho . Populações de estrelas envelhecidas são vistas na imagem como pontos azulados.

No canto esquerdo destaca-se uma segunda galáxia, retratada como uma mancha azul difusa e brilhante, aparentemente encaixada entre os braços espirais de NGC 1097.

Fonte: APOLO


1614402_2.jpg

Esta imagem da galáxia Centaurus

A coloca em evidência o

efeito de um buraco negro activo (NASA).

Um buraco negro é uma quantidade imensa de massa concentrada num ponto de tamanho zero, a que chamamos de singularidade. É difícil imaginar massa sem tamanho, mas um buraco negro pode ser milhões de vezes mais massivo que o Sol.

A singularidade exerce força gravitacional sobre tudo à sua volta, assim como o Sol, mas com uma diferença. A partir de uma certa distância, denominada raio de Schwarzschild, nada escapa à gravidade por ele exercida, independentemente da sua velocidade. Nem a própria luz. A esfera formada pelo raio de Schwarzschild é denominada horizonte de eventos, porque além dela não se vê nada. Quanto mais massivo é um buraco negro, maior é seu horizonte de eventos.

O buraco negro é uma estrela que perdeu o brilho e ficou extremamente densa.

A gravidade dela é tão alta que suga o que está ao seu redor e não deixa a luz de outros corpos escaparem.






Detalhes da imagem: Buraco negro sugando uma estrela do seu antigo sistema binário, vejam como a matéria passa pelo disco de acresção.



MAIS DETALHES SOBRE:Buraco negro



Um grupo de cientistas de vários países, liderados por Felix Mirabel, do Comissariat a l'Energie Atomique (França) e do Instituto de Astronomía y Física del Espacio/CONICET, (Argentina), descobriram um buraco negro, nosso vizinho, que se desloca velozmente no plano da nossaGaláxia.


o sistema do buraco negro GRO J1655-40Esta impressionante descoberta foi feita a partir de dados obtidos pelo Hubble Space Telescope, um projeto de cooperação internacional entre a European Space Agency (ESA) e a National Aeronautics and Space Administration (NASA).

Usando imagens que haviam sido obtidas em 1996 com outras obtidas em 2001 (imagem ao lado), os astrofísicos puderam calcular o movimento espacial do sistema composto por este buraco negro e sua estrela companheira. Para grande surpresa dos cientistas, verificou-se que o buraco negro desloca-se rapidamente na Via Láctea, ou seja, no plano da nossa Galáxia, com uma velocidade de 400000 quilômetros por hora. Esta velocidade é quatro vezes maior do que a velocidade média das estrelas na nossa vizinhança galáctica.
http://www.noao.edu/outreach/press/pr09/images/Boroson-Graphic.jpg


Sempre dizemos que os buracos negros não podem ser vistos uma vez que eles, por engolirem até mesmo a luz e não emitirem radiação, são totalmente escuros, podendo ser classificados como invisíveis.
No entanto, métodos indiretos permitem que os astrônomos detectem a presença de um buraco negro.

Se o buraco negro faz parte de um sistema binário, tendo portanto uma estrela companheira, as perturbações que ele provoca na órbita desta estrela são percebidas pelos astrônomos. Estudando o movimento da estrela e verificando-se que não existe qualquer companheira visível, os astrônomos deduzem a presença de um buraco negro como membro deste sistema binário.

Isto foi feito pelos pesquisadores que mediram o movimento deste sistema buraco negro - estrela ao longo do plano da Galáxia usando as imagens de alta resolução obtidas pelo Hubble Space Telescope em 1996 e 2001. Estes dados foram combinados com outros obtidos por telescópios situados na superfície da Terra, e o resultado foi surpreendente.
http://img.cancaonova.com/noticias/noticia/249261.jpg

A NASA revelou imagens de um enorme buraco negro e seus efeitos sobre uma galáxia vizinha. A NASA afirma que estas
imagens são as melhores até o momento.

Elas mostram jatos de partículas de alta energia opostos, que chegam até aos limites mais afastados da galáxia, Centaurus A. Também são visíveis vários outros pequenos buracos negros em outros sistemas estelares binários. As imagens foram tiradas pelo Observatório Chandra de raios X durante mais de sete dias de observação contínua.


Quem é este buraco negro?
http://3.bp.blogspot.com/_vzXeVTLGBFI/Rfpn6HO6JMI/AAAAAAAABrY/Mmt4I-584Ac/s400/Vento%2Bde%2Bum%2Bburaco%2Bnegro.jpg
O buraco negro detectado pelo HST, e chamado de GRO J1655-40, está localizado na constelação Scorpius (Escorpião). Esta constelação, mostrada abaixo na magnífica fotografia de grande angular feita pelo astrofotógrafo japonês Akira Fujii, é uma das regiões mais bonitas da Via Láctea e pode ser obervada no céu brasileiro. No lado esquerdo desta imagem vemos o centro da nossa Galáxia.

a constelação Scorpius

Sobre a fotografia feita por Akira Fujii foi colocado um destaque quadrado, tirado do Digitized Sky Survey II, que nos mostra a região onde está o sistema do buraco negro GRO J1655-40.
a constelação Scorpius

Possivelmente este buraco negro foi criado na parte mais interna do disco da nossa Galáxia onde existe a maior taxa de formação de estrelas.
O buraco negro GRO J1655-40 é o segundo "microquasar" descoberto na nossa Galáxia. Damos o nome de "microquasar" aos buracos negros que tem, aproximadamente, a mesma massa que uma estrela. Eles se comportam como versões diminuidas dos buracos negros com muito mais massa que estão nas regiões centrais das galáxias extremamente ativas chamadas quasares. Desde 1970 os astrônomos sabem da existência de buracos negros com massas estelares. A massa deles pode variar de 3,5 a, aproximadamente, 15 vezes a massa do nosso Sol.
http://39.img.v4.skyrock.net/39e/escorpiano/pics/1735692892.jpg

O sistema em que vive o buraco negro

Usando os dados obtidos pelo HST, os astrônomos foram capazes de descrever o sistema em que está localizado o buraco negro. Ele possui uma estrela companheira que aparentemente sobreviveu à explosão da supernova que deu origem ao buraco negro.
Na imagem abaixo, o sistema do buraco negro GRO J1655-40 está marcado com um círculo e a seta mostra a direção do movimento que o buraco negro irá realizar nos próximos 100000 anos.

o buraco negro

A estrela companheira completa uma órbita em torno do buraco negro a cada 2,6 dias. Ela está envelhecendo e, lentamente, vai sendo devorada pelo buraco negro. Jatos de matéria estão sendo lançados para fora do sistema buraco negro - estrela à incrível velocidade de cerca de 90% da velocidade da luz.
http://images.iop.org/objects/physicsweb/news/12/4/15/BlackHoles.jpg
Representação artística de um buraco negro que existe no quasar OJ287 (fonte: NASA).